quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

10 mitos sobre a Avoada - mito #3

3. A Avoada é uma espiã que se infiltra em comunidades sobre TDAH pra vender ritalina.
     Eu tenho duas parcelas a pagar na farmácia só de ritalina, mas acredite, é só pra uso pessoal. Como boa TDAH, eu já deixei vencer receitas do remédio e meu médico me dá receita pra comprar todas as caixas que preciso de uma vez, pra eu não correr o risco de esquecer.
     Só porque eu não tenho foto no perfil não quer dizer que eu seja uma marginal da sociedade.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

10 mitos sobre a Avoada - mito #2

2.  A Avoada é uma fanática religiosa que acredita em fadas, duendes e pequenos X-men
     Em primeiro lugar, eu não curto muito a franquia X-men...
     Eu sou TDAH, curiosa e espírita.
     Sou espírita exatamente porque não consigo desassociar nada da ciência e foi a única filosofia ou doutrina religiosa que encontrei que não fazia isso.
     Mas só porque postei um texto sobre uma tese abrangida por uma parte dos adeptos dessa doutrina não quer dizer que eu sou propagadora dessa ideia.
     Me considero mais uma pesquisadora de ideias.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

10 mitos sobre a Avoada - mito #1

 
Vi esse post no blog da Gláucia, o Ritalina com Bobagem e adorei. Como ela foi super doce de liberar conteúdo, resolvi fazer um 10 mitos também, como se fosse um meme.
Só pra esclarecer, peguei essa ideia no Ritalina com Bobagem! (ficou bom desse tamanho, Gláucia? Hehehe! Ela disse que créditos pequenininhos não valia!)
Só que eu acho que 10 mitos são muita coisa! Pra alguém que ainda não aprendeu como escrever para web e é prolixa até dizer chega, é muita coisa mesmo! Sem falar que escrever para web e para TDAHs exige que seja rápido, senão mole mole se perde leitores! :P 
Então, vou postar um mito em cada post.
Lá vai!
 
1. A Avoada é um macho abdutor de TDAHs jovens e inocentes
     Dizem as más línguas que na verdade eu sou um macho peludo que se faz passar por uma moçoila TDAH para seduzir moças para a minha casa de praia, me aproveitando de sua boa índole e de sua distração patológica.
     A verdade é que eu sou uma moça que se apaixonou por um rapaz não tão peludo que me seduziu com sua distração docemente patológica. ( Amor, te amo.)

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Teste #2

1. Seus amigos, colegas de trabalho e familiares te apelidam de "enrolada", "atrasilda", "avoada", "no mundo da lua", "ligeirinha", "bicho carpinteiro", "estabanada", "desastrada", "mão de alface", dentre coisitas mais carinhosas do gênero;
2. Essas pessoas reclamam que tentam falar com você, mas você não escuta quando elas te chamam;
3. Quando você começa a desconfiar de um caso de surdez;
4. Não esqueça que você pode mesmo estar ficando surdo. Mas é sério, não esqueça!
5. Você tem inúmeros gadgets e aparelhos eletrônicos para te lembrar dos seus afazeres;
6. Você tem uma agenda, um caderno e doze blocos de anotação espalhados pela casa pra não esquecer nada;

6. Você anota "banho" ou coisas banais do gênero na agenda ou nos blocos de anotação;
6. Você não olha nem agenda, nem bloco, nem caderno, computador ou qualquer coisa que o valha antes de sair de casa;

7. Você tem uma consulta médica marcada. Só não lembra onde nem quando; (isso é um mero detalhe)
8. Você teria um currículo maravilhoso se tivesse terminado ao menos 1/3 dos cursos que começou;
9. Você é conhecida por ser linguaruda, não ter papas na língua, ser pavio curto ou viver passando por gafes. Ou tudo junto!
10. Você não reparou que a numeração deste teste está errada.
 
Cara, se você já respondeu "sim" a todas essas, de novo...
Bemvindo(a) ao clube.
Obs.: Esse post não tem nenhum embasamento científico, apenas observação empírica.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Tdatacada

Não parece que tem dias que o TDA tá mais atacado?
Esses dias deixei a receita do remédio vencer e PQP tô mais repetitiva que um papagaio com essa história de que deixei vencer a poha da receita nem eu me aguento mais com isso mas enfim  fiquei uma semana sem medicação.
É lógico que eu pensei "mifu!", mas fiquei surpresa com o meu poder de concentração nesses dias "sóbria".
Claro que eu me metia na conversa dos outros, respondia pergunta que não era pra mim, cantava no meio do expediente e vivia com os fones de ouvido pregados na orelha com medo de me dispersar demais. Mas não fiz caquinhas nas minhas planilhas, não mandei e-mails pra pessoas erradas e não perdi o prazo de nada do que me comprometi a fazer.
Perdi vários compromissos, inclusive não fui à terapia. Foi uma semana de atrasos constantes! Fiquei frustrada, mas no fim da semana, quando vi que não tinha dado prejuízo pra ninguém e inclusive tive meu trabalho elogiado, me perdoei. (Em crítica, me disseram que eu deveria ter mais foco, mais atenção na execução das tarefas e menos insegurança, já que meu trabalho é bom. Era mais fácil ter dito "Seu trabalho é muito bom! Exceto a parte do DDA que não é muito legal...". Disseram que eu deveria ser mais participativa também. Isso quer dizer que eu preciso tirar os fones de ouvido e dispersar mais? Complicado, gente.)
Na semana seguinte voltei à academia, voltei a estudar, fui na fisio, cheguei na hora no trabalho. Estava cheia de prazos e era minha última semana antes de sair de férias. Precisava deixar pendências zeradas. 
E não é que nessa pressão toda, fiz caquinha (de leve) na planilha, mandei e-mail pro lugar errado, esqueci várias coisas que tinha pra fazer, de anotar vários lembretes e compromissos no celular?
Como isso é possível, se eu estava medicada?
Pelo jeito, o remédio não faz milagre. A gente tem que estar ligado o tempo todo e não se descuidar.
Acho que por estar de posse daquele bilhete amarelo já me senti segura demais, baixei a guarda e o TDAH atacou com tudo!
Acho que o certo é ficarmos sempre vigilantes, sabendo que temos uma probabilidade maior de cometer erros. Mesmo medicados.
Droga de droga. ¬¬

Teste #1

Você deve desconfiar de que é um(a) TDAH quando:
1. Usa excessivamente o verbo esquecer na primeira pessoa do singular conjugada em inúmeros tempos verbais;
2. Se faz muito a pergunta "do que eu estava falando mesmo?";
3. Não tem a mínima ideia do que comeu ontem no almoço.;
4. Não lembra se comeu ontem no almoço;
5. Costumeiramente não consegue assistir à aula de laboratório do colégio porque esqueceu a apostila;
6. Já foi detida mais de uma vez com a carteira de motorista vencida;
7. Vive fazendo segunda chamada de provas na escola ou na faculdade porque esquece a data da prova;
8. Tira notas baixas ou acaba reprovada porque grita "PQP, era pra hoje!" na cara do professor no dia da entrega daquele trabalho que valia ponto pra passar;
9. Vive tomando esporro do seu chefe porque "era pra hoje" o material que você tinha que preparar para aquela reunião;
10. Perdeu o próprio aniversário. Aham, você esqueceu que era hoje;

Cara, se você já respondeu "sim" a todas essas, não vou até o 50. E seria fácil chegar lá!
Bemvindo(a) ao clube.
Obs.: Esse post não tem nenhum embasamento científico, apenas observação empírica.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Leon Reporta - TDAH

O Leon tem um canal no youtube. Ah é, e ele também tem TDAH! Ele fez um vídeo bacana, engraçado e bem informativo sobre o tema!

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Carta aberta a um grupo do Facebook

Gostaria de manifestar meu descontentamento, bem como minha MÁGOA perante a intolerância e rejeição que sofri nesta comunidade, de forma desproporcional e descabida. Para isso, ainda estou sendo obrigada a me identificar, coisa que evitei fazer nos últimos meses com o fim de me preservar. Porém, meu sangue ferve diante de injustiças (vejam bem, eu estou tremendo neste momento e não sou uma pessoa que gosta de perder o controle...) e me sinto obrigada a me manifestar. Em agosto do ano passado fui diagnosticada com TDAH e buscando informações sobre o assunto fui gentilmente "cooptada" por nosso amigo Ferreira Grama a participar deste fórum. Conversei online com muitas pessoas, troquei experiências valiosas, experiências estas que resolvi estender à publicação de um blog chamado Diário de uma Avoada - http://diariodeumaavoada.blogspot.com - em que conto meu cotidiano desde que obtive diagnóstico. Embora permanecendo anônima, divido ali, como todos aqui fazem, minhas preocupações, minhas trapalhadas rs e minhas descobertas acerca do TDAH. Uso inclusive outro perfil do FB para isso. Ainda obtenho trocas maravilhosas com pessoas igualmente ótimas. Me deparei com um assunto que muitas outras pessoas me revelaram já terem entrado em contato, que trata de "crianças índigo". Inocentemente postei o link do blog aqui, com o fim de discutir o assunto com outras pessoas. Em nenhum momento quis impor minha opinião, difundir crença religiosa ou converter pessoas, MUITO MENOS DESACREDITAR ESTUDOS CIENTÍFICOS E O TRABALHO MÉDICO DE PROFISSIONAIS QUE NOS AUXILIAM EM NOSSO TRATAMENTO. Creio piamente e defendo o diagnóstico baseado em exame clínico, realizado por profissional da área. Me trato com um psiquiatra e uma psicóloga. Simplesmente quis dividir uma informação que cruzou o meu caminho e pelo visto, cruzou o caminho de outras pessoas. O retorno das pessoas foi variado: vi pessoas curiosas, outras identificadas com o tema e outras rechaçando veementemente. Todos praticando o direito democrático do livre debate. Quão grande se torna a minha surpresa ao retornar aqui para continuar a trocar figurinhas e me vejo BANIDA da comunidade,e meu tópico excluído! Antes mesmo de constatar isso, passei o meu primeiro dia de férias, que foi hoje, de cabeça baixa, pensativa e com o coração pesado, pois recebi comentários um tanto quanto hostis de um dos administradores do grupo. No entanto, nunca imaginei que a defesa veemente do ceticismo culminaria em uma aitude discriminatória. Porque obviamente me senti discriminada, no mínimo rejeitada! Em nenhum momento sequer eu fui descortês, desrespeitosa ou impertinente com nenhum dos membros deste grupo e quem me conhece sabe que eu não poderia sê-lo com ninguém, nem no auge do meu desgosto, como vocês todos podem ver. Em um espaço em que se garante a livre discussão como um grupo online do FB considero passar por isso um verdadeiro achincalhe do meu direito de livre expressão! Em minha defesa, relato ainda que o assunto em questão - "crianças índigo" - embora tenha cunho diversificado, não se desvia do foco e objetivo do grupo, pois é relacionado com TDAH. A mera discussão do tema não ameaça em nenhum momento, ao meu ver, a veracidade irrefutável de que lidamos com um transtorno largamente reconhecido pela comunidade médica. Se em algum momento ofendi a moral de alguém, a atitude minimamente civilizada que se espera é que esta pessoa me comunicasse seu incômodo e como pessoa civilizada que sou, com dignidade me retiraria deste grupo tão seleto de pessoas. Porém, haja vista o tratamento que me foi dado, acho dubitável que este grupo seja tão seleto assim, ou tenha administradores com o mínimo de civilidade esperada de um cidadão comum. E isto constato com o máximo pesar, diante da constante acolhida e camaradagem com que o @Ferreira Grama sempre me dispensou. Ainda assim, me digno a desculpar-me caso tenha ofendido ou maltratado alguém, embora ache isso muito improvável de ter ocorrido, diante de minhas raras, porém sempre cordiais aparições na comunidade.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Crianças Índigo



Tem uma teoria da psicologia que alega que as crianças nascidas da década de 80 pra cá - a chamada geração Y - teriam uma atividade cerebral diferenciada, marcada por impulsividade, desatenção e hiperatividade.

Essas crianças seriam revolucionárias e questionadoras, com um nível elevado de inteligência e criatividade, tornando-se desafiadoras até para a educação dos pais.

Essa teoria foi incorporada pelo Espiritismo, que diz que estas crianças seriam espírtos mais elevados e exilados da estrela plêiade Simone.

Supostamente nesta estrela vivem espíritos mais iluminados, mais especificamente de uma luz azul (blue jeans), de matéria mais fluídica. Quando a estrela passou por sua última transição, espíritos que não poderiam mais acompanhar a evolução espiritual de Simone vieram a Terra, carregando consigo também a missão de uma quebra de paradigmas capaz de levar o planeta a uma nova fase de evolução - de planeta de expiação para de regeneração - e preparar as pessoas para entrar na faixa de iluminação de Simone.

A partir de 21/12/2012, dizem os médiuns que vem recebendo mensagens dos Emissários de Luz, a Terra estará absolutamente imersa na luz de Simone e ali ficará pelos próximos 2.000 anos, regenerando-se. (como eu queria poder viver mais 2.000 anos!!!)

Por conta dessa iluminação azul de suas auras, esses espíritos são chamadas de crianças índigo.

Mas a parte mais impressionante dessa teoria pra mim é a que trata das crianças cristal. Segundo estudiosos da Doutrina e da psicologia, essas crianças estão nascendo agora em nosso planeta, e tem características ainda mais marcantes. Tem dificuldade para aprender a falar, pois seu aparelho fonador seria muito diferente daquele trazido de suas outras encarnações, são muito mais calmas do que as índigo e tem personalidade pacificadora. Sua aura tem uma cor cristalizada, demonstrando sua evolução espiritual ainda maior, e sua presença é harmonizadora.

Por conta de sua dificuldade de assimilar sua encarnação em uma matéria mais "pesada" como a da Terra, algumas destas crianças são acometidas de autismo e/ou Síndrome de Asperger.

Sabemos que na vida na Terra lidamos com nossa condição de TDAH com medicação, na maioria das vezes. No entanto, o posicionamento de alguns espíritas em relação a isso é um pouco decepcionante pra mim. Alguns são contra o uso de medicação. Mas isso já é papo pra outro post.

Até lá, deixo vocês com o discurso dessa menina que provavelmente nasceu na década de 80 e tem muita coisa pra dizer. Tanto que foi falar na ONU tudo o que ela pensava.


Talvez você goste de...

Tags

ABDA (4) academia (2) acordar (1) adolescência (1) agressividade (2) álcool (1) alimentação (1) android (1) anjo da guarda (1) ano novo (1) ansiedade (5) antidepressivos (2) apertar dentes (1) aplicativos (2) arte (2) asperger (1) astrid (2) atrasos (1) autismo (1) autoboicote (1) autoconhecimento (1) autosabotagem (1) banho (1) bau (2) bebida (2) benfeitoria (1) benjamin franklin (1) bispo do rosário (1) blog (3) bruxismo (1) bula (1) bullet journal (1) bulletjournal (1) casa (1) causos (1) celular (2) cérebro (4) ciclotimia (1) cocaína (1) colônia Juliano Moreira (1) como eu me sinto quando (1) contato (1) cotidiano (22) cozinha (2) crianças (1) crianças cristal (1) crianças índigo (1) crise (1) dança (2) daniel radcliff (1) dda (1) dentes (1) depressão (3) desatento (3) dgt td (1) dica (1) direito (1) disforia (1) dispraxia (1) distmia (2) distração (3) divagar (1) divaldo franco (1) dívidas (1) dor (1) dorgas (1) drogas (1) efeitos colaterais (3) eleições 2014 (1) escola (1) espiritismo (4) esquecimento (5) estimulantes (1) estrutura externa (3) estudos (2) evernote (1) Exercício (1) exercícios (3) facebook (1) faculdade (1) festa duro (1) foco (1) forbes (1) fórum (1) gardenal (1) gerenciamento de tempo (4) gestor de tarefas (2) google (1) grupo de ajuda (1) gtasks (1) hallowell (2) Hariel (1) harry potter (1) hiperatividade (2) hiperativo (3) hiperfoco (1) Hospício Pedro II (1) impulsividade (1) infância (1) insensata (1) insônia (3) ioga (2) Joanna de Ângelis (1) jogos (1) kátia cega (1) leitura (1) link (2) listas (3) literatura (1) livro (9) loucura (1) lumosity (3) maconha (1) Maksoud (2) mandíbula (1) mau-humor (1) medicação (11) meditação (3) meme (6) memes (1) memória (1) metilfenidato (1) métodos (5) mitos (9) mostra (1) não está sendo fácil (1) neurofeedback (1) notícia (1) o ciclo da auto-sabotagem (1) organização (6) party hard (1) paulo mattos (2) pesquisa (1) Pinel (1) poesia (1) posts (1) Produtividade (1) psicologia (1) ranger dentes (1) reiki (1) relações sociais (2) relato (1) religião (3) resenha (2) rio de janeiro (1) ritalina (7) ritalina com bobagem (1) rivotril (1) rotina (2) russel barkley (1) São Paulo (2) saúde (2) Seminário (2) site (1) sono (2) stanford (1) tarefas (2) tasks. listas (1) tda (1) tdah (18) tdah adulto (7) tdah infantil (3) tendência (1) teorias (1) teste (2) trabalho (5) tv (1) viagem (1) viagra (1) vício (1) vida financeira (1) Vídeo (5) vídeos (1) vugnon (1) yoga (2)