terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Os segredos do cérebro TDAH - parte III


As implicações deste novo entendimento são vastas. A primeira coisa a fazer é para conselheiros, médicos e profissionais de parar de tentar transformar as pessoas com TDAH em pessoas típicas. O objetivo deve ser o de intervir o mais cedo possível, antes que os indivíduos TDAH’s se sintam frustrados e desmoralizados lutando em um mundo neuro típico, onde a plataforma está contra ele. A abordagem terapêutica que tem uma chance de funcionar, quando nada mais tem, deve ter duas partes:
A nível neurológico com medicação, de modo que o indivíduo TDAH tenha a capacidade de focar a atenção, controle de impulsos e capacidade de se acalmar internamente. Para a maioria das pessoas, isso requer dois medicamentos diferentes. Estimulantes melhoram o desempenho no dia-a-dia de um TDAH, ajudando-o a fazer as coisas. Eles não são eficazes em acalmar a hiperatividade interna que muitos com TDAH têm. Por esses sintomas, a maioria das pessoas serão beneficiadas pela adição de um outro medicamento.
Medicação, no entanto, não é suficiente. Uma pessoa pode tomar o medicamento certo na dose certa, mas nada vai mudar se ele ainda se aproxima de tarefas com estratégias neuro típicas.
A segunda parte de gestão de sintomas TDAH é o indivíduo criar o manual do proprietário do seu próprio TDAH. Manuais do proprietário genéricos que foram escritos por outros têm sido decepcionantes para as pessoas com o transtorno. Como todo mundo, as pessoas com TDAH crescem e amadurecem com o tempo. O que interessa e desafia alguém aos sete anos de idade não vai interessar e desafiar aos 27 anos.

Escreva suas próprias regras
O manual do proprietário TDAH tem que ser baseado em sucessos pessoais e atuais. Como você começa um trabalho agora? Em que circunstâncias você tem sucesso e pode prosperar em sua vida atual? Ao invés de focalizar onde você sabe que sua atenção vai cair rápido, é preciso identificar como você entrar na zona de atenção e funcionar em níveis notáveis.
Eu costumo sugerir que meus pacientes carreguem um bloco de notas ou um gravador por um mês para escrever ou explicar como eles agem nas zonas de necessidades.
Será que é porque eles estão intrigados? Se assim for, o que, especificamente, que tarefa ou situação os intriga? Será que é porque eles a sentem competitiva? Se assim for, o que no "oponente" ou situação traz à tona os traços competitivos?
No final do mês, a maioria das pessoas terá compilado 50 ou 60 diferentes técnicas que eles sabem serem boas para trabalhar e funcionam para eles. Quando chamados a desempenhar e se engajar, eles agora entendem como funciona o seu sistema nervoso e que as técnicas são úteis.
Eu vi essas estratégias funcionarem para muitos TDAH’s , porque recuaram e descobriram os gatilhos que eles precisam puxar. Esta abordagem não tenta transformar e mudar uma pessoa com um sistema nervoso TDAH em pessoas típicas (como se isso fosse possível), mas ajuda ao longo da vida, pois baseia-se em seus pontos fortes .

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Os segredos do cérebro TDAH - parte II


Como o resto do mundo funciona
Os 90 por cento de não TDAH’s são pessoas no mundo referidas como "neuro típicos." Não que eles sejam "normais" ou melhores. Sua neurologia é aceita e aprovada pelo mundo. Para as pessoas com um sistema nervoso neuro típico  sendo interessados nas tarefas, ou desafiadas, ou encontrar motivação na tarefa urgente como útil, mas não como um pré-requisito para fazê-lo.
Pessoas típicas usam três diferentes fatores para decidir o que fazer, como começar a fazer a tarefa, e ficar focado nela até que seja concluída:
1. o conceito de importância (que acham que devem fazê-lo).
2. o conceito de importância secundária - eles são motivados pelo fato de que seus pais, professores, chefes, ou alguém que respeitam pensam que a tarefa é importante para iniciar, enfrentar e completar.
3. o conceito de recompensas para fazer uma tarefa e as consequências, ou punições se não a fizerem.
Uma pessoa com um sistema nervoso TDAH raramente é capaz de usar a ideia de importância ou recompensas para iniciar e fazer uma tarefa. Eles sabem o que é importante, eles gostam de recompensas, e eles não gostam de punição. Mas para eles, essas coisas que motivam o resto do mundo são apenas paliativas.
A incapacidade de usar importância e recompensas para obter motivação tem um impacto permanente na vida dos TDAH’s:
Como podem aqueles diagnosticados com a condição de escolher entre várias opções, se eles não podem usar os conceitos de importância e recompensas financeiras para motivá-los?
Como eles podem tomar decisões importantes, se os conceitos de importância e as recompensas não são nem úteis na tomada de decisão, nem a motivação para fazer e o que escolher? Este entendimento explica porque nenhuma das terapias cognitivas e comportamentais usados para gerenciar os sintomas do TDAH têm um benefício duradouro. Pesquisadores veem TDAH como decorrente de um sistema nervoso defeituoso ou com base em déficit. Eu vejo TDAH como decorrente de um sistema nervoso que funciona perfeitamente bem por seu próprio conjunto de regras. Infelizmente, ele não funciona em nenhuma das regras ou técnicas ensinadas e encorajadas num mundo neurotípico. É por isso que:
TDAH’s não se encaixam no sistema de ensino normal, que é construído em repetir o que alguém pensa que é importante e relevante.
TDAH’s não vão prosperar no trabalho padrão que paga pessoas para trabalhar com base no que outra pessoa, (ou seja, o chefe) acha que é importante.
TDAH’s são desorganizados, pois praticamente todos os sistemas organizacionais lá fora são construídos em duas bases, - priorização e gestão do tempo – o que TDAH’s não fazem bem.
TDAH’s tem dificuldade de escolher entre alternativas, porque tudo tem a mesma falta de importância. Para eles, todas as alternativas parecem iguais.
Pessoas com um sistema nervoso TDAH sabem que, se eles se engajarem em uma tarefa, eles podem fazê-la. Longe de ser mentalidades danificadas, as pessoas com um sistema nervoso TDAH são brilhantes e inteligentes. O principal problema é que eles receberam um manual do proprietário neuro típico já no nascimento. Ele pode funcionar para todos os outros, não para eles.

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Segredos do cérebro TDAH - parte I

Recebi uma matéria do Ivan Monticelli bem interessante e resolvi postar aqui, mas em partes, até porque eu mesma ainda não consegui ler toda! Hahaha!

Mas é bacana, gente! Vale ler até o final!



TDAH é uma condição confusa, contraditória, inconsistente e frustrante. É impressionante a quantidade de pessoas que vivem com ele todos os dias. Os critérios diagnósticos que foram utilizados para os últimos 40 anos deixam muitas pessoas querendo saber se eles têm o transtorno ou não. Os diagnósticos têm longas listas de sintomas para classificar e marcar. O Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais tem 18 critérios , e em outras listas de sintomas podem chegar a até 100 características.
Os médicos, inclusive eu, têm tentado estabelecer uma maneira mais simples, mais clara para entender as deficiências do TDAH. Nós temos olhado para a "linha brilhante e resplandecente", que define a condição, explica a fonte da deficiência, e dá a direção sobre o que fazer sobre isso.
Meu trabalho na última década sugere que faltou algo importante sobre a natureza fundamental do TDAH. Voltei para os especialistas sobre a condição - as centenas de pessoas e suas famílias com quem trabalhei que foram diagnosticadas com ele - para confirmar a minha hipótese. Meu objetivo era buscar o recurso que todas as pessoas com TDAH tem, e que as pessoas típicas não têm.
Eu o encontrei. É o sistema nervoso TDAH , uma criação única e especial que regula a atenção e emoções de maneiras diferentes do sistema nervoso em que aqueles sem a condição.
A Zona TDAH
Quase todos os meus pacientes e suas famílias querem largar o termo Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade, porque descreve o oposto do que eles experimentam a cada momento de suas vidas. É difícil chamar algo de transtorno quando ele dá muitos pontos positivos . TDAH não é um sistema nervoso danificado ou defeituoso. É um sistema nervoso que funciona bem com o seu próprio conjunto de regras. Apesar do TDAH ter uma associação com dificuldades de aprendizagem , a maioria das pessoas com um sistema nervoso TDAH têm QI significativamente acima da média superior. Eles também usam esse QI mais alto de maneiras diferentes do que pessoas típicas. No momento em que a maioria das pessoas com a doença alcance o ensino médio, eles são capazes de resolver os problemas que são difíceis a todos os outros, e podem pular para soluções que ninguém mais viu.
A grande maioria dos adultos com um sistema nervoso TDAH não são abertamente hiperativos. Eles são hiperativos internamente.
Aqueles com o diagnóstico de ter “falta de atenção”. Parece mais que prestam muita atenção a tudo. A maioria das pessoas com TDAH não medicados tem quatro ou cinco coisas acontecendo em suas mentes ao mesmo tempo. A principal característica do sistema nervoso TDAH não é de déficit de atenção, mas a atenção inconsistente.
Todas as pessoas com TDAH sabem que eles podem " ficar na zona  de atenção "pelo menos quatro ou cinco vezes por dia. Quando estão nesta zona, parece que não têm deficiências, e os défices de funções executivas que possam ter tido antes de entrar na zona de atenção desaparecem. TDAH’s (as vezes) sabem que eles são brilhantes e inteligentes, mas eles nunca tem certeza se suas habilidades vão aparecer quando eles precisam. O fato de que os sintomas e deficiências vêm e vão ao longo do dia é o traço definidor de TDAH. Isso torna a condição incompreensível e frustrante.
Pessoas com TDAH principalmente quando na zona de atenção, ficam interessados em, ou intrigados com o que eles estão fazendo. Eu chamo-lhe um sistema nervoso baseado em interesses. Amigos e familiares julgam e  vem isso como sendo comportamento incerto ou auto-boicote. Quando os amigos dizem: "Você pode fazer as coisas que você gosta", eles estão descrevendo a essência do sistema nervoso TDAH.
Indivíduos com TDAH também podem entrar na zona de atenção quando eles são desafiados ou jogados em um ambiente competitivo. Às vezes, uma tarefa nova ou crítica atrai a atenção deles. Novidade é de curta duração, porém, e tudo fica velho depois de um tempo.
A maioria das pessoas com um sistema nervoso TDAH podem envolver-se em tarefas e acessar as suas habilidades quando a tarefa é urgente, tem um prazo a fazer ou podem morrer, por exemplo. É por isso que a procrastinação é uma deficiência quase universal em pessoas com TDAH. Eles querem fazer o seu trabalho, mas não podem começar até que a tarefa torna-se interessante, desafiadora, ou urgente.

Talvez você goste de...

Tags

ABDA (4) academia (2) acordar (1) adolescência (1) agressividade (2) álcool (1) alimentação (1) android (1) anjo da guarda (1) ano novo (1) ansiedade (5) antidepressivos (2) apertar dentes (1) aplicativos (2) arte (2) asperger (1) astrid (2) atrasos (1) autismo (1) autoboicote (1) autoconhecimento (1) autosabotagem (1) banho (1) bau (2) bebida (2) benfeitoria (1) benjamin franklin (1) bispo do rosário (1) blog (3) bruxismo (1) bula (1) bullet journal (1) bulletjournal (1) casa (1) causos (1) celular (2) cérebro (4) ciclotimia (1) cocaína (1) colônia Juliano Moreira (1) como eu me sinto quando (1) contato (1) cotidiano (22) cozinha (2) crianças (1) crianças cristal (1) crianças índigo (1) crise (1) dança (2) daniel radcliff (1) dda (1) dentes (1) depressão (3) desatento (3) dgt td (1) dica (1) direito (1) disforia (1) dispraxia (1) distmia (2) distração (3) divagar (1) divaldo franco (1) dívidas (1) dor (1) dorgas (1) drogas (1) efeitos colaterais (3) eleições 2014 (1) escola (1) espiritismo (4) esquecimento (5) estimulantes (1) estrutura externa (3) estudos (2) evernote (1) Exercício (1) exercícios (3) facebook (1) faculdade (1) festa duro (1) foco (1) forbes (1) fórum (1) gardenal (1) gerenciamento de tempo (4) gestor de tarefas (2) google (1) grupo de ajuda (1) gtasks (1) hallowell (2) Hariel (1) harry potter (1) hiperatividade (2) hiperativo (3) hiperfoco (1) Hospício Pedro II (1) impulsividade (1) infância (1) insensata (1) insônia (3) ioga (2) Joanna de Ângelis (1) jogos (1) kátia cega (1) leitura (1) link (2) listas (3) literatura (1) livro (9) loucura (1) lumosity (3) maconha (1) Maksoud (2) mandíbula (1) mau-humor (1) medicação (11) meditação (3) meme (6) memes (1) memória (1) metilfenidato (1) métodos (5) mitos (9) mostra (1) não está sendo fácil (1) neurofeedback (1) notícia (1) o ciclo da auto-sabotagem (1) organização (6) party hard (1) paulo mattos (2) pesquisa (1) Pinel (1) poesia (1) posts (1) Produtividade (1) psicologia (1) ranger dentes (1) reiki (1) relações sociais (2) relato (1) religião (3) resenha (2) rio de janeiro (1) ritalina (7) ritalina com bobagem (1) rivotril (1) rotina (2) russel barkley (1) São Paulo (2) saúde (2) Seminário (2) site (1) sono (2) stanford (1) tarefas (2) tasks. listas (1) tda (1) tdah (18) tdah adulto (7) tdah infantil (3) tendência (1) teorias (1) teste (2) trabalho (5) tv (1) viagem (1) viagra (1) vício (1) vida financeira (1) Vídeo (5) vídeos (1) vugnon (1) yoga (2)